quarta-feira, 12 de outubro de 2016

12 de outubro: dia para recordar...

quarta-feira, 12 de outubro de 2016




O dia de hoje me traz à memória boas e más lembranças, se é que se pode assim caracterizá-las. Das boas, tenho a ansiedade típica da infância pelo presente que, raramente, meus pais podiam comprar, e, quando podiam, geralmente me frustrava em demasiado, visto que “brinquedo de menino” comumente não estava entre as minhas preferências. No entanto, a despeito dessas frustrações características de uma criança que pouco ou nada compreendia do que se passava com ela, essa segue sendo uma boa lembrança. A infância, mesmo que permeada pela incompreensão e pelo medo, é sempre uma fase saudosa à qual a gente sempre quer voltar.

O meu envolvimento com a fé cristã ao longo da minha adolescência e início da vida adulta eu posso, talvez, incluir em ambas as categorias. Se por um lado dias como o de hoje representavam para mim uma imensa alegria – visto que eram sinônimo de procissão, igreja toda decorada e festa na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, lá do Durval de Barros (que saudade do senhor, Pe. Álvaro...) –, por outro, me faziam lembrar as reais razões que eu tinha para estar ali. Por mais que eu me recusasse a enxerga-las, o medo, o conflito e a necessidade de fuga estavam sempre à espreita.

Das más lembranças, recordo um lamentável episódio de intolerância religiosa, ocorrido há vinte e um anos, amplamente divulgado e comentado à época. E quando me valho do adjetivo “lamentável” não me restrinjo àquela situação específica, mas ao que se pode refletir sobre ela nos dias atuais, quando um grupo de pessoas – muitas delas incentivadas por pseudo pastores – invadem terreiros de candomblé e umbanda; quando ateus e progressistas (não necessariamente ateus) escarnecem de protestantes, católicos e afins, zombando de sua fé e questionando a sua capacidade intelectual; quando o ateísmo é relacionado com mau-caratismo; quando o Estado tem ameaçadas a sua laicidade e a liberdade de crença e não crença dos seus cidadãos. Enfim, nesse sentido, o dia 12 de outubro traz lembranças negativas, mas muitas dessas são lembranças de um presente sombrio e um futuro incerto...

No dia de hoje, então, o meu apelo é pela tolerância e pelo respeito ao outro enquanto ser humano livre para viver aquilo que o leva ao encontro de si mesmo. A fé é uma coisa maravilhosa e que só se explica pela própria fé. Eu tenho a felicidade de partilhar dessa fé e, se eu pudesse compartilhar contigo algum aprendizado, eu diria que o fato de não mais estar vinculado a nenhuma doutrina em especial me possibilita hoje a percepção de que o encontro é a base, a máxima, a premissa de toda e qualquer religião. Seja qual for a sua fé, acredite no que acreditar, não se esqueça de que o respeito, a tolerância e o amor ao seu próximo, tido como irmão, são uma linha reta que conduz direto ao Coração de Deus.

Bom feriado.

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Vai comentar esta minha postagem? É muito simples, bastando seguir os seguintes passos:

i) escreva a mensagem;
ii) escolha o perfil com o qual deseja postar o comentário. Por exemplo: você pode escolher

a) “Conta do Google” caso utilize o Gmail. Nesse caso será solicitada sua ID e senha;
b) “WordPress” caso tenha conta no WordPress;
c) “Nome/URL”, sendo-lhe solicitado o seu nome e endereço do seu site/blog;
d) “Anônimo”;

iii) em seguida é só clicar em “Postar comentário” e pronto!

Obrigado pela visita.
Forte abraço.

Alex

 
(Marm)anjo caído... ◄Design by Pocket, BlogBulk Blogger Templates ► Distribuído por Templates